O autor deste blogue reserva-se o direito de publicar e responder aos e-mails e comentários que lhe são enviados (critérios: disponibilidade de tempo e interesse para os leitores). Os e-mails e comentários a merecer resposta devem obedecer à seguinte condição: o seu autor deve estar devidamente identificado com endereço e-mail e número de telemóvel.


quarta-feira, 26 de abril de 2017

Vasos para a cultura do mirtilo

Boa tarde, 

Gostaria saber quantos furos (laterais e fundo da base) deve ter um vaso para plantação inicial de mirtilos,com capacidade de 32 litros.

Comentários (Eng. Hugo Botelho, técnico da Bfruit):
Normalmente os vasos trazem 8 furos ao longo da lateral, no fundo. 
Contudo recomendo o uso de leca ou outro material parecido para ajudar a drenagem. 
Cerca de 3 a 5 cm será suficiente. 

terça-feira, 25 de abril de 2017

Framboesa - prestação de serviços

Boa noite Sr Eng José Martino, 

Aproveito desde já para o felicitar por toda a sua dedicação ao blog e em prestar o máximo de ajuda e informação. 

Tenho um projeto aprovado no PDR2020, para plantação de framboesa , 0,50ha. Precisava saber se existe ou conhece alguma empresa que me possa ajudar (chave na mão) a implementar e/ou dar algum apoio na escolha das plantas,túneis,etc

Comentários:
Para o solicitado contate a Bioberço, empresa especializada na cultura da framboesa, fazendo a implantação chave na mão da cultura em todo o território nacional. Tem larga experiência na sua atividade porque instalou várias centenas de hectares de plantações de framboesa

Sessão pública GlobalG.A.P.


Data: 29-04-2017 

Programa: 

9h00    Recepção aos participantes 

9h30     Implementação do GlogalG.A.P. 
              José Martino, Espaço Visual 

10h30  O serviço de assistência técnica a explorações agrícolas 
              Tiago Martino, Espaço Visual 

11h00  Certificação do Globalgap 
               Liliana Perestrelo, Naturalfa 


12h00  Encerramento do evento 

terça-feira, 4 de abril de 2017

Eng. Eduardo Ribeiro - Gestão no Agroalimentar - Workshop



  • Recomendo vivamente este evento porque é uma oportunidade única de assistir à apresentação do trabalho de um empresário agrícola, o qual é o melhor que eu conheço na gestão de uma pequena exploração agrícola: utiliza de forma muito barata, simples e prática, metodologias de multinacionais da indústria na gestão agricola.

    Inscrições gratuitas, obrigatórias
    Local: Instituto Empresarial do Tâmega, Tâmega Park – Edifício Mercúrio, Fração AC, Agração – Telões 4600-758 Amarante, 6.ª feira (7 abril) 15h - 17h30 

  • Bilhetes disponíveis
    goo.gl
  • CONTEÚDOS:
    A importância da gestão e controlo de indicadores no domínio dos processos das empresas no agroalimentar.
    A recolha de dados, seu tratamento e suas implicações no sucesso do negócio agroalimentar.
    Fatores que conduzem ao lucro das empresas agroalimentares.

    ANIMADOR: 
    Eduardo Ribeiro – Engenheiro Mecânico, empresário agrícola e consultor. Experiência de 15 anos na indústria com domínio na gestão de empresas multinacionais. Em 2014 iniciou o seu projeto com uma plantação de kiwis arguta. Experiência na Gestão do pomar e nos seus indicadores.

quinta-feira, 30 de março de 2017

Não sei se o senhor terá tempo ou paciencia para responder à minha duvida

Boa noite Sr.Engenheiro,

Eu sou estudante de Ciências de Engenharia, no perfil de engenharia Agronomica na Faculdade de Ciencias da Universidade do Porto e planeio um dia ser engenheiro agronomo.
Não sei se o senhor terá tempo ou paciencia para responder à minha duvida...
Mas aqui vai: 
Os meus avos tem 1,1 ha de terreno, que nunca foi utilizado para alem de "madeira" esporadicamente. E eu gostava de aproveitar o programa PDR2020 para jovens agricultores e "criar" o meu proprio projecto enquanto termino a licenciatura. Assim, criava o meu proprio emprego e lutava por algo que amo tanto, que é a agricultura. 
Estive a pesquisar e deram-me a ideia de plantar kiwi amarelo e aproveitar a ajuda do pdr2020 e dos prémios agregados. 
Mas o meu receio é nao ser rentavel, no "pouco" terreno que tenho disponivel. 
Uma das principais razoes para que escolhi a cultura do kiwi, é o pouco tempo que ocupa,  como estudo, posso sempre continuar a investir no meu conhecimento e aplica-lo nos meus tempos livres nessa cultura. 
Pode ajudar-me na minha decisão? 
Agradeço desde ja a atenção e agradeço o excelente blogue que escreve. 

Os melhores cumprimentos,

Comentários:
1. O kiwi amarelo só existe em variedades protegidas, funcionam como uma espécie de franchising, não havendo variedades livres com interesse comercial. O seu terreno terá de ser aprovado como tendo aptidão para a cultura pela Entidade que detém o franchising.

2. Com 1,1 hectares de superfície de plantação não cumpre as condições mínimas para se instalar como jovem agricultor.

3. Precisa de encontrar terrenos para implantar 3 a 5 ha de kiwis amarelos (a dimensão mínima varia com o menor ou maior valor de investimento, em função do que seja necessário em melhoramentos fundiários sobretudo os ligados à rega, construções, máquinas e equipamentos)  

4. Se precisar de uma opinião muito concreta para o seu caso marque uma consulta com a Eng. sónia Moreira da Espaço Visual (917075852)

Globalgap e Assistência Técnica

Sessão Pública 
Local: Espaço Visual, Gondomar
Data: 8 abril de 2017
Programa
9h00    Recepção aos participantes
9h30     Implementação do Glogalgap               
              José Martino, Espaço Visual
10h30  O serviço de assistência técnica a explorações agrícolas    
              Tiago Martino, Espaço Visual
11h00  Certificação do Globalgap      
               Liliana Perestrelo, Naturalfa
12h00  Encerramento do evento  

Evento gratuito. Inscrições obrigatórias: tiago.martino@espaco-visual.pt

quarta-feira, 29 de março de 2017

Com tantas dificuldades tenho de encontrar uma solução alternativa, construindo um negocio, produzindo o meu próprio rendimento.

Caro Eng. José Martino,

Encontrei o seu blog ao pesquisar por projetos agrícolas, vejo que tem uma vasta experiência e conhecimento do assunto. 
Indo diretamente ao que me levou a escrever-lhe esta mensagem passo a descrever: tenho 47 anos, estou desempregada (2anos), como tantos no nosso país.
Sempre que envio currículos as respostas são mudas, ou não tenho experiência na área, ou, necessitam de jovens para realizar candidaturas a estágios profissionais.
E surge o velho dilema… com mais de 45 anos somos velhos demais para trabalhar e novos demais para estar em casa…
Com tantas dificuldades tenho de encontrar uma solução alternativa, construindo um negócio, produzindo o meu próprio rendimento. Esta ideia já tem algum tempo.
Atualmente na família (pais) tenho um terreno com cerca de 30.000m2 e que não produz qualquer rendimento, só é explorado uma pequena horta para consumo próprio.
Tenho uma paixão pela quinta que foi dos meus avós, o gosto de trabalhar a terra e a vida ao ar livre.
Neste momento e como estou no desemprego não tenho capital disponível, mas como tenho este terreno gostaria de o rentabilizar, tenho um particular interesse pela produção de cogumelos.
Será que com a minha idade ainda tenho hipóteses, há algum tipo de apoio/financiamento para este tipo de projeto?
Pois mais uma vez só encontro informações para apoio para jovens agricultores... o que não é o caso…
Espero que me possa ajudar com alguma informação e encontrar uma solução para por fim a esta situação aflitiva… e sem esperança.
Obrigada

Comentários:
1. Creio que é preciso abrir estágios profissionais para todas as idades e não só para os jovens. Muitos de nós precisamos reconverter as nossas competências profissionais (eu tenho 55 anos) e as empresas precisam quem as apoiem para a integração destes colaboradores na fase inicial de adaptação em que são menos produtivos porque se estão a ajustar às novas funções e aos novos postos de trabalho.

2. Porque será que a família desta leitora deixou a sua propriedade sem produzir qualquer rendimento?
Porque não é fácil nem usual ganhar dinheiro com a agricultura - é preciso saber gerir, saber responder às questões seguintes de forma assertiva:
- Que atividades desenvolver? Estão em linha na respetiva exigência e ossos de ofício com a minha vocação pessoal?
- Quem me compra as produções, paga atempadamente,  dá um valor pelas minhas produções acima do preço de custo de produção?
- Sou capaz de produzir de forma competitiva o perfil do produto que o mercado quer trocar por euros? 
- Estou disposto a assumir o risco de produzir? A continuar a tentar, aprendendo com os erros, mesmo quando já vou para a 3.ª tentativa?  

3. Identificou as motivações idealistas de muitos que abraçam a agricultura: "Tenho uma paixão pela quinta que foi dos meus avós, o gosto de trabalhar a terra e a vida ao ar livre".
Vou identificar as motivações realistas de quem entra na agricultura para vencer na vida: "Tenho uma paixão por ganhar dinheiro com a atividade agrícola, gosto de dominar os pormenores para desenvolver uma atividade que gera valor acrescentado traduzido euros e gosto de me ultrapassar aprendendo com os meus erros porque no mundo há uma única coisa que depende da minha vontade de mudar radicalmente de vida: eu próprio e o meu comportamento!"

4. Há apoios financeiros para apoiar investimentos de jovens e menos jovens. Há diferenças percentuais entre eles no apoio ao investimento. Os jovens têm um prémio de 1.ª instalação para ajudar no início do negócio em que o dinheiro é mais necessário. Sobre os apoios que pode obter ligue com a Eng. Sónia Moreira da Espaço Visual (917075852).

5. Para mim o mais importante é percorrer o caminho para se dedicar ao empreendedorismo agrícola: leia este blogue porque tem escrito a melhor estratégia para se iniciar no processo (aprenda com os erros e faturas pagas pelos outros - visite, pergunte, pergunte, pergunte...escreva, escreva, … o que aprendeu em cada contato, melhore os documentos, fará um excelente plano e ação). 

6. Cogumelos são bom negócio? Para alguns produtores, sim. Para muitos outros, um suplício, esperar até que possam encerrar o projeto. Há um terceiro grupo, os que estão a aprender o negócio, a experimentar, à medida que o tempo passa conseguem diminuir custos, aumentar proveitos, encontrar mercado, melhorar a logística, enfim... percorrem o caminho para perceberem o negócio, como conseguem ter mais produto e trocá-lo por euros, fazendo-o de forma competitiva (o que recebem é de maior valor do que o que gastam).

7. Tenho quase a certeza que não consegui ajudar no sentido que pretendia ("Espero que me possa ajudar com alguma informação"): soluções, certezas, verdades absolutas, fórmulas mágicas e fáceis para o sucesso. Peço desculpa, eu não consigo, não sou competente para o efeito, só tenho experiência pela aquisição de informação que vou transformando em conhecimento através de muitas visitas de estudo, por falar com muitas pessoas sobre esse mesmo tema, por tomar a decisão de investir (por o avião no ar e depois alimentá-lo para que não caia, ter a humildade de aprender com os erros e saber que muito que saiba sobre determinada cultura, atividade, etc. não sei o suficiente para deixar de aprender humildemente todos os dias, com o campo, com a realidade que se muda, se transforma, ter a coragem de pagar as contas quando erro e não desistir enquanto o bom senso indicar que o sucesso virá). O sucesso que se aparenta ter é o resultado de muita ineficiência, de errar e tentar muitas vezes, vezes sem conta até se ter sucesso, mas fazendo diferente em cada tentativa, eliminando os erros anteriores.

8. Um dos meus muitos sonhos de vida, do meu "laboratório da vida" (quem me conhece profundamente sabe  o que isto significa, o que eu gosto realmente na vida) é construir uma equipa para prestar serviços a quem afirma o que escreveu: ".... e encontrar uma solução para por fim a esta situação aflitiva… e sem esperança".

9. Por último, analise-se e verifique no seu perfil onde é realmente boa. E se for na agricultura..., nos cogumelos..., vá em frente mova o mundo e dedique-se, esta é a solução para por fim a essa aflição!

Votos de sucesso! Votos de muito sucesso!

Nota: Continuo disponivel para ajudar se entender continuar a escrever-me. 

quarta-feira, 22 de março de 2017

Precisamos mudar de vida, queremos mudar de vida! O que fazer para entrar na agricultura?

Boa noite Eng. José Martino,
Encontrei o seu blog ao pesquisar por agricultura, projetos e subsídios e vejo que tem uma vasta experiência e conhecimento do assunto. 
Indo diretamente ao assunto que me levou a escrever-lhe esta mensagem, eu e a minha cara metade estamos fartos do comércio, estar fechados o dia todo a ouvir clientes que não querem perceber as coisas e precisamos de mudar de vida, queremos mudar de vida! 
Queremos um trabalho em que o rendimento (€€) dependa do nosso esforço e não da vontade de A, B ou C! Temos garra e vontade de trabalhar, queremos ver os resultados do nosso esforço! Somos de Trás-os-Montes, temos cerca de 20.000€ para investir e não temos terrenos. Sei que não é muito, dai precisar de umas dicas de alguém com experiência para não andar a tentar a sorte sem saber o que realmente pode dar rendimento. Já pensamos em ter um rebanho de ovelhas e cabras, já vimos uma estufa abandonada que possivelmente poderia ser negociada, mas não temos uma noção no que estamos a metermos. O que nos aconselha?
Obrigado

1. Querer mudar de vida do comércio para a agricultura é muito bom, mas por favor gravem nas Vossas mentes que vão continuar com problemas tanto ou mais penalizantes que aqueles que já possuem: a agricultura é um negócio a céu aberto com elevado risco climático e que em muitas das suas atividades tem dificuldade em gerar valor acrescentado. 

2. Ao lerem o que escrevi em 1. até pensarão que eu sou um tremendo pessimista que não quer motivar pessoas para se instalarem na agricultura, pelo contrário, o meu lema é convencer pessoas a abraçarem a agricultura, não todas e quaisqer, mas pelo contrário, pessoas muito realistas sobre os desafios que irão enfrentar, competentes, corajosas, resistentes, e muito conscientes dos problemas, limitações, etc. mas sobretudo cientes das suas competências e capacidades para ganhar dinheiro nos negócios da agricultura. 

3. Este blogue tem imensas dicas, estratégias, ações, etc. do que devem fazer para entrarem na agricultura. P. F. leiam o que escrevi, tirem as Vossas conclusões, percorram os caminhos que indiquei e aqui chegados escrevam-me um email (jose.martino@espaco-visual.pt) e conversaremos.

Boa sorte e muito sucesso!     

terça-feira, 21 de março de 2017

Workshop Gestão no Agroalimentar

Depois do sucesso e do elevado nível de interesse do Workshop de "Gestão no Agroalimentar", lançado em fevereiro, em Celorico de Basto, achamos que devíamos voltar a repetir a iniciativa, para partilharmos com mais pessoas os conhecimentos do Eng.º Eduardo Ribeiro. Neste contexto, e no âmbito do Plano de Desenvolvimento do Setor Agroalimentar do Baixo Tâmega (financiado pelo Sistema de Incentivos às Ações Coletivas - NORTE 2020), temos muito gosto em convidá-lo(a) a participar neste mesmo Workshop, dedicado à "Gestão no Agroalimentar", a realizar no dia 7 de abril, em Amarante, no Instituto Empresarial de Tâmega.



07 abril de 2017

Entrada gratuita, sujeita a inscrição.

LOCAL: Instituto Empresarial do Tâmega, Tâmega Park – Edifício Mercúrio, Fração AC, Agração – Telões 4600-758 Amarante
Lat.: 41.287903(ddo) Long.: -8.088596 (ddo)

CONTACTO: Julieta Oliveira
Email: geral@aeamarante.pt
Tel. 255 410 240

HORÁRIO: 15H00 – 17H30

CONTEÚDOS:
A importância da gestão e controlo de indicadores no domínio dos processos das empresas no agroalimentar.
A recolha de dados, seu tratamento e suas implicações no sucesso do negócio agroalimentar.
Fatores que conduzem ao lucro das empresas agroalimentares.

ANIMADOR:
Eduardo Ribeiro – Engenheiro Mecânico, empresário agrícola e consultor. Experiência de 15 anos na indústria com domínio na gestão de empresas multinacionais. Em 2014 iniciou o seu projeto com uma plantação de kiwis arguta. Experiência na Gestão do pomar e nos seus indicadores.

Inscreva-se aqui: https://goo.gl/forms/R2gXRBMbEjRAUcFk2 ou https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLScGL_NJfNLH2Mu43LtLBRpFCcIV4BbSH24obK5B_UnSmmIKNg/viewform?c=0&w=1

Organização: Ruris e UTAD

sexta-feira, 17 de março de 2017

Espaço Visual - uma mais valia no investimento agrícola

Nas Regiões Norte e Centro os custos de investimentos são superiores às outras regiões de Portugal Continental porque é preciso fazer intervenções de investimento ao nível de retificação das pequenas parcelas para formar uma parcela maior, mais rentável ao nível do trabalho dos tractores e equipamentos, diminuição do efeito de borda, etc. drenagem externa (água da encosta que descarrega na parcela agrícola), drenagem interna (águas dentro da parcela), etc. É neste tipo de operações que empresas de consultoria como a Espaço Visual são uma mais valia porque têm dezenas de anos de experiência face a consultores independentes ou pequenas empresas que estão no mercado há poucos anos.

A eng. Sónia Moreira (917075852) e a sua equipa estão ao dispor para realizar visitas em todo o território de Portugal, elaborando estratégias para melhores e mais eficazes investimentos nas diversas e multifacetadas agriculturas  


Terreno no Douro Litoral que será uma futura plantação de mirtilos





Castanheiro

Bom dia Engº Jose,
O meu nome é ... e adquiri recentemente duas terras em Chaves (aldeias a redor a cerca de 850m de altitude), a bons castanheiros perto, mas como sou novo na área tenho lido muita coisa, e fiquei preocupado porque em Italia lesse que 90% dos castanheiros foram afectados por doenças, e dado que ainda se trata de bastante investimento pois gostaria de plantar 10ha, não sei se deva plantar castanheiros hibridos ou castanheiros selvagens, pois pelo que li os castanheiros hibridos estão mais protegidos a doenças, mas penso que não se dão tao bem em terras altas.
Desculpe o incomodo se de alguma forma me puder ajudar eu retribuirei.
Atentamente 

Comentários:
1 - A cultura do castanheiro está sujeita a uma praga, vespa das galhas do castanheiro, a qual faz apodrecer a madeira sendo responsável pela forte  quebra de produção em Itália que o leitor identificou no seu texto.

2 - Esta praga está a ser combatida pelo programa Biovespa coordenado pela RefCast - Associação Portuguesa da Castanha.

3 - Aconselho-o a plantar variedades autoctones portuguesas de csatanheiro, as quais são as melhor adaptadas aos solos e climas da sua região e as mais competitivas no mercado nacional e internacional.

4 - Peça uma consulta à Eng. Sónia Moreira da Espaço Visual (917 075 852) que ela ajuda-o na resposta às questões técnicas e na conceção de uma plantação competitiva e ajustada para resistir e produzir  com todas as limitações de pragas e doenças  

domingo, 12 de março de 2017

Filtros da água de rega

A utilização de água de reservatórios ao ar livre obriga à colocação de filtros de areia e depois destes filtros de cartuchos para se conseguir trabalhar com sistemas de rega minimizando o risco de entupimento dos bicos. É recomendável que os filtros de areia tenham sistema de limpeza automática para garantir que o sistema de rega trabalha sob as condições de pressão e caudal ótimos 











Cultura de Framboesas



A produção de framboesas sob túneis, em vaso no sistema de semihidroponia, é uma forma competitiva de obter produções para colocar no mercado internacional. A sustentabilidade económica e financeira a longo prazo é mais elevada se tirar partido das regiões com clima que induz maior precocidade natural












quinta-feira, 9 de março de 2017

Visita técnica de campo

A visita dos técnicos da Espaço Visual aos terrenos agrícolas serve para avaliação das atividades potenciais nessas parcelas tendo em conta os seus solos e climas. Paralelamente é feito o levantamento de infraestruturas e melhoramentos fundiários existentes, assim como os investimentos necessários a este nível para implementar uma empresa agrícola devidamente estruturada e competitiva.

A minha experiência de mais de trinta anos de atividade como agrónomo de campo permite dar à equipa da Espaço Visual a solidez que tem na consultoria agrícola





sexta-feira, 3 de março de 2017

FORMAÇÃO ESPECÍFICA PARA AS MEDIDAS AGROAMBIENTAIS

  • 10/01/2017


    Os beneficiários com compromissos iniciados em 2015, no âmbito das Ações 7.1 «Agricultura biológica» 
  • e 7.2 «Produção integrada», terão que concluir as ações de formação específica a que estão obrigados pela regulamentação em vigor, até ao dia 30 de abril do corrente ano. Este prazo excecional decorre da Portaria n.º 338-A/2016, de 28 de dezembro, que introduz alterações à legislação em vigor para estas medidas (ver nº2, do artigo 26º, da Portaria nº 25/2015, de 9 de fevereiro, alterada pelo artigo 3º, da Portaria nº 338-A/2016). Fonte: www.pdr-2020.pt.
  • Para mais informações sobre estas formações consulte Tânia Pacheco da Espaço Visual (962928498)